Banco Inter cria plataforma exclusiva para clientes de alta renda

O Banco Inter criou uma plataforma exclusiva para quem tem alta renda. Clientes que possuem um capital de mais de R$ 1 milhão no banco terão benefícios exclusivos.

Publicidade
Publicidade

Banco Inter

Banco Inter

O Banco Inter está buscando inovar constantemente. E agora criou uma plataforma exclusiva para clientes de alta renda.

A base de clientes do banco vem crescendo rapidamente, sendo que no último mês a instituição comemorou a marca dos R$ 6 milhões de correntistas alcançados.

Até junho deste ano, o marketplace criado pela instituição movimentou cerca de R$ 180 milhões, e fora isso o banco também criou a sua própria operadora de telefonia, a Intercel.

Isso sem falar que em parceria com a MRV, o Banco Inter passou a ofertar no seu aplicativo o consórcio imobiliário, além de seguros e uma plataforma de investimento exclusiva para os seus clientes.

Publicidade

Não bastasse tanta inovação em tão pouco tempo, agora o Banco Inter está criando também a Win, Inter Wealth Management, que é uma área voltada para clientes private.

Publicidade

Plataforma para clientes de alta renda do Banco Inter

De acordo com João Vitor Menin, essa área private será para clientes que possuem um capital de mais de R$ 1 milhão no banco. Normalmente em outras instituições é considerado Private quem têm entre R$ 3 milhões e R$ 5 milhões em dinheiro.

A Win é uma plataforma que nasce com uma carteira de clientes que foi herdada da DLM. Essa é uma gestora de capital que foi adquirida pelo Inter no final do ano passado.

No total, são administrados R$ 1,8 bilhão em recursos. No entanto, Menin diz que o Banco Inter pretende fazer um movimento mais forte nessa área de investimentos. A ideia é fazer com que os clientes invistam dentro da plataforma do banco.

Hoje em dia, o Banco Inter possui a PAI (Plataforma Aberta Inter) que já conta com aproximadamente 700 mil investidores que são correntistas do banco. A plataforma possui cerca de R$ 20,5 bilhões sob custódia.

A meta do banco agora é triplicar esse valor até a metade do ano que vem. O objetivo é fazer com que 20% da base de clientes invista no banco, chegando assim em R$ 60 bilhões sob custódia até julho de 2021.


Veja também:


Muito além do mercado Private

Fora os clientes considerados private que possuem investimentos acima de R$ 1 milhão, o Banco Inter também vai se embrenhar nos clientes um pouco abaixo.

Nesse caso, o nicho pretendido é o mesmo do Bradesco Prime e do Itaú Personnalité. Desse modo será criada uma categoria Black, que são clientes que possuem recursos acima de R$ 250 mil para investir.

Hoje em dia, o mercado de investimentos no Brasil está concentrado, portanto, da seguinte maneira: R$ 1 trilhão com os clientes private, R$ 1 trilhão com os clientes prime e R$ 1 trilhão com os pequenos investidores que são a base da pirâmide.

Na base, o Inter já está, contudo, bem posicionado, agora a meta do banco é buscar os clientes do meio e do topo da pirâmide.

Banco Inter pretende que os clientes do topo invistam no banco

Os bancos digitais criaram uma certa obsessão para fazer com que os clientes invistam dentro do próprio ecossistema do banco. Por isso, não só o Inter, mas também outros bancos estão criando suas próprias plataformas de investimentos.

O Neon recentemente anunciou a compra da corretora Magliano com o objetivo de desenvolver uma área de investimentos voltada para seus clientes.

Por trás dessa nova estratégia dos bancos digitais está um fenômeno que foi puxado pela XP que é diminuir a concentração nos grandes bancos que hoje contam com aproximadamente 80% do capital investido.

Devido ao avanço tecnológico e a dinâmica do mercado financeiro, cada vez mais os clientes estão buscando migrar para investimentos mais arrojados. Por isso o Banco Inter está atento neste mercado.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.