Os bancos digitais na Black Friday, nasce uma nova Era!

Os bancos digitais chegaram para ficar e mudaram o comportamento do consumidor. E quais os reflexos nas compras de Black Friday? Continue a leitura e descubra.



Anúncios



Publicidade

Os bancos digitais na Black Friday

bancos digitais

A princípio parecia utopia. Com o tempo, tornou-se realidade. Os bancos digitais chegaram e mudaram paradigmas.

Neste ano, mais do que nunca, eles estarão ainda mais presentes na Black Friday. Afinal, estamos vivendo o começo de um novo tempo. Não só o início de um novo tempo, como também o fim do dinheiro como o conhecemos.

Por mais que isso pareça algo distante, a verdade é que a mudança já começou.

Quer você queira, quer não.



Publicidade

A evolução dos bancos digitais em 2020

É provável que nem o mais entusiasta da tecnologia tenha previsto um ano como 2020. Uma pandemia chegou, e mudou absolutamente tudo em nossas vidas.



Anúncios

Até então, acreditávamos que o trabalho home office seria uma tendência.

Assim como também acreditávamos que os bancos digitais iriam crescer.

Só que não imaginávamos que isso fosse acontecer tão rápido.

Só para ilustrar, o Nubank chegou em 30 milhões de clientes neste ano. O Banco Inter ultrapassou os 7 milhões. E o C6 Bank já está com mais de 2 milhões de correntistas.

Por conta do isolamento social, muita gente migrou para os bancos digitais, e de agora em diante, eles terão um papel ainda mais fundamental no nosso dia a dia.


Veja também:


Como os bancos digitais mudam nosso dia a dia?

Em primeiro lugar, a mudança mais significativa está relacionada ao fato de não possuírem agências. Dessa forma, conseguimos fazer tudo o que precisamos sem sair de casa.

Em segundo lugar, eles oferecem muitos serviços gratuitos. Serviços que até então eram cobrados pelos bancos tradicionais. E aqui entre nós: não eram nada baratos esses serviços.

Dessa forma, transferir dinheiro ficou mais fácil. E também mais barato. Pagar um boleto é mais simples que comprar pão. E fazer recarga de celular então? Moleza.

Além disso, podemos usá-los para comprar o que quisermos na web.

Inclusive durante a Black Friday.

Como fica a Black Friday então?

A Black Friday demorou para emplacar no Brasil.

Afinal, no começo, muitos lojistas subiam o preço para depois aplicar o desconto.

Por isso, os consumidores olhavam essa data sempre com certa desconfiança. Entretanto, de um tempo para cá, isso mudou. A Black Friday emplacou, e as vendas nessa época superaram outras datas.

Como resultado, começamos a esperar pela Black Friday para comprar.

Mas agora, por conta do isolamento social, houve uma nova mudança: As vendas online superaram as vendas no comércio físico.

E sabe quem tem um papel importante nessa dinâmica? Os bancos digitais.

Os bancos digitais na Black Friday

Se a maioria das compras estão sendo feitas pela internet, o pagamento também. Ou seja, as pessoas estão usando outras soluções para pagar.

Logo, além dos descontos proporcionados pelas redes, estamos atentos a outras questões. Uma delas é o cashback.

A facilidade de pagamento é uma outra questão. E isso consiste em parcelamento, aceitação de links de pagamento, aceitação de pagamentos por QR Code, dentre outras soluções. Por isso, os lojistas precisam se preparar para a Black Friday.

Ou seja, precisarão aceitar os mais variados meios de pagamentos para bombar nesta data. Sendo assim, não há mais como separar os bancos digitais da Black Friday.

E nem de qualquer outra data.

Então quem quiser vender mais, terá que facilitar a vida do consumidor.

Em resumo, consumidores e lojistas estão se relacionando de maneira diferente. Mais distantes e ao mesmo tempo mais próximos.

E isso deverá refletir na Black Friday e também nas vendas de Natal, afinal, é assim que os bancos digitais se relacionam com seus clientes: Distantes fisicamente, mas próximos digitalmente.

Seja como for, a verdade é que bancos como C6 Bank, Inter e Nubank estão um passo à frente nessa Black Friday.

E você, está preparado para as compras digitais?