Cartão de Crédito e Covid-19: projeto de lei quer limitar os juros



Anúncios



Publicidade

Um projeto de lei proposto pelo deputado Denis Bezerra (PSB-CE), quer limitar os juros do cartão de crédito à taxa básica de juros, durante o período de disseminação da doença. Se a medida for aprovada, estará vigente durante todo o período de quarentena e disseminação do Covid-19, que pode durar cerca de 3 meses.

O projeto de lei ainda não está valendo, apesar de a inciativa ser bem interessante. Já que muitos bancos, mesmo com a taxa Selic baixa e com mais dinheiro para fornecer o crédito, ainda estão com altas taxas para conceder crédito, por causa da instabilidade trazida pelo coronavírus.

O PL (projeto de lei), ainda não foi distribuído para as comissões do governo para serem votadas. Mas, se os parlamentares entrarem em acordo poderá haver uma votação remota, no chamado Sistema de Deliberação Remota do Plenário.

Diminuição dos juros do rotativo do cartão de crédito já é uma pauta conhecida

O deputado Eduardo Braga, que já cobrava a diminuição dos juros do cartão de crédito, voltou a discutir com mais ênfase durante a crise sobre a necessidade de fazer isto. Segundo parlamentar existem diversas cobranças que são injustificáveis, por terem um preço alto demais, não correspondendo com a realidade.



Publicidade

Já Denis Berreza, fala que a situação da economia brasileira é ímpar, e são necessárias medidas para evitar abusos por parte dos bancos. Pois, atualmente, a taxa de juros do cartão de crédito é de mais de 300%.



Anúncios

Uma medida que limite os juros do cartão de crédito, vai evitar que as pessoas se endividem nesta época. E, ao mesmo tempo, diminuir o prejuízo de quem não conseguir fazer o pagamento total das parcelas na data de vencimento do cartão.

Outras medidas urgentes defendidas por parlamentares

Líderes parlamentares defendem que, por causa da pandemia, outras medidas para proteger os mais vulneráveis, são necessárias. Claro, que baixar os juros do rotativo, vai evitar o endividamento, mas outras medidas também são necessárias.

Já que é necessário lembrar que são muitos os brasileiros que não tem uma reserva financeira, e não estão podendo trabalhar. Por isso, poderão enfrentar dificuldades para conseguir se manter.

Uma das medidas é dar a trabalhadores informais e desempregados um auxílio de R$ 350 reais para quem estiver no cadastro no CadÚnico, e não participar de outro programa governamental. O valor defendido é maior que os R$ 200 reais que o governo estava pré-disposto a pagar.

Além disso, outras medidas também se farão necessárias, para socorrer pequenos empresários que já estão enfenado dificuldades para se manter diante da crise.


Veja também:


Conclusão

Enfim, neste artigo você descobriu diversas medidas que estão sendo tomadas para trazer mais tranquilidade para que as pessoas consigam passar pela crise. E, de preferência com os menores danos possíveis, infelizmente nada ainda está concluso.