Como a pandemia impactou o mercado financeiro? Entenda!

A chegada da pandemia exerceu um grande impacto no mercado financeiro, principalmente em empresas cujos canais de venda eram exclusivamente físicos. Por conta disso, uma grande mudança começou a se operar.

Mercado Financeiro

impactos da pandemia

O ano de 2020 foi marcado por uma verdadeira transformação não só no Brasil como no mundo. Com a chegada da pandemia de Covid-19 o mercado financeiro desabou de uma hora para outra, e os impactos são sentidos até hoje.

Com o avanço da vacinação, há uma grande expectativa de retorno às atividades normais em todos os setores, e isso está criando um cenário um pouco mais otimista, embora muitas empresas não tenham conseguido sobreviver.

Por conta disso, nosso país ainda amarga um alto índice de desemprego, e diversas empresas estão apresentando um baixo índice de lucratividade ao longo de 2021. E para o ano que vem a expectativa não é muito animadora.

CARTÃO MEU BMG
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO MEU BMG

SEM ANUIDADE
 
CASHBACK
Cartão de crédito internacional para você e seu time do coração
Você permanecerá no site atual

Economia brasileira para 2022

Embora haja uma grande expectativa de que em 2022 a vida retorne totalmente a normalidade, outros problemas precisam ser enfrentados. Um deles é o combate à inflação que parece ter saído de controle.

Para 2021, o último relatório Focus apontou que o IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) deverá fechar o ano acima dos 8%. Para tentar controlar o aumento da inflação, o Copom (Comitê de Políticas Monetárias) vem elevando a taxa Selic.

Após a última reunião, houve um aumento na taxa básica de juros para 6,25% e a expectativa é que ela termine o ano em 8,25% e continue crescendo no ano que vem. Tudo isso pode impactar no consumo e na geração de emprego.

E com uma perspectiva de alta na taxa de juros e inflação ainda sem controle, o momento não é propício para a criação de dívidas. Muito pelo contrário, esse é o momento das empresas enxugarem custos e reverem estratégias.


Veja também:


Como driblar essa situação?

Uma das maneiras que as empresas, principalmente do segmento financeiro, encontraram para driblar essa situação, foi migrando o máximo de serviços e atendimentos aos canais digitais, fechando inclusive muitas agências físicas.

Portanto, os lojistas precisam se atentar e copiar esse modelo, buscando diversificar as opções oferecidas aos clientes, vendendo não só de maneira física como também de forma digital. Além disso, é preciso se atentar ao home office.

Esse é um formato de trabalho que ganhou força com a chegada da pandemia e pode apresentar uma redução significativa de custos para a empresa. Ou seja, tente imaginar um escritório que tenha 50 funcionários trabalhando.

Nesse caso a empresa tem um custo com o galpão, energia elétrica, manutenção de equipamentos que não são baratos. Já ao permitir que o colaborador trabalhe em regime home office é possível economizar dinheiro.

Lições aprendidas durante a pandemia

Algumas lições foram aprendidas durante a pandemia. Uma delas é a diversificação dos canais de atendimento. Ou seja, é preciso vender de várias formas, seja por canais físicos e digitais. Quanto mais canais de atendimento a empresa tiver, melhor.

Uma outra lição foi não concentrar os ganhos em poucos clientes. Afinal, se um cliente que corresponde a 50% do faturamento da empresa vai à falência, ele poderá comprometer o fluxo de caixa e até mesmo a saúde financeira da empresa.

Por isso, é fundamental diversificar a carteira de clientes, fazendo com que eles não correspondam a mais de 20% dos seus ganhos. São pequenas decisões que podem fazer uma grande diferença no longo prazo e até mesmo sobreviver em tempos tão incertos.

Sendo assim, a busca por diversificação na carteira de clientes, nos canais digitais e até mesmo na gama de produtos oferecidos, assim como a redução de custos pode ser uma boa alternativa para as empresas que querem sair mais fortes deste momento.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais, e nos ajude a disseminar o conhecimento!