Finanças pessoais – Como está a sua saúde financeira? Entenda!

Publicidade
Publicidade

Administrar nossas finanças pessoais é absolutamente importante para que consigamos ter uma vida mais próspera e feliz.

Afinal, quando temos muita preocupação financeira, acabamos perdendo a motivação de viver. Nossa vida torna-se um verdadeiro martírio, e até o nosso relacionamento acaba se desgastando mais.

Porém, apesar de saber todos os transtornos que as contas em desajuste podem nos trazer, inúmeras vezes não conseguimos colocar nossas finanças pessoais em ordem. Mas, porque isso acontece?

Entendendo a administração das finanças pessoais

Acabamos nos desorganizando financeiramente por inúmeros motivos. Seja por uma perda de emprego, ou até mesmo por falta de planejamento.

Publicidade

No entanto, apesar de parecer difícil é perfeitamente possível melhorar a organização financeira. O primeiro passo para isso, é procurar colocar em uma planilha todas as suas receitas e todas as suas despesas.

Publicidade

Posteriormente é preciso classificar as despesas. Essa classificação pode ser simples, dada como despesa fixa como: aluguel, água, telefone, força, prestação de casa, etc. Ou despesa variável: compras diversas, prestações de compras, etc.

Conseguindo realizar minuciosamente essa classificação, o próximo passo é procurar saber quantos por cento da sua receita vai para contas fixas e quantos por cento vai para contas variáveis.

Se uma grande parte está indo somente para custo fixo é preciso rever o seu padrão de vida. Ou seja, ver se é possível ir para uma residência mais barata, fazer um novo plano de telefone, ver onde pode reduzir a energia, ou até mesmo ir para um carro mais barato.


Veja também:


E quanto a maior parte do dinheiro está indo para contas variáveis?

Já se grande parte das suas receitas estão sendo gastas com contas variáveis, é preciso então evitar as compras por impulso. Ou seja, começar a ponderar melhor antes de fazer uma compra e perguntar-se: Eu preciso disso?

Normalmente as compras por impulso são as principais responsáveis por comprometer a nossa renda, nos jogando inclusive para endividamentos. O problema é quando o endividamento ocorre com o cheque especial ou o cartão de crédito.

Os juros pagos nessa modalidade são bastante agressivos, e podem crescer exponencialmente quando não acertados a tempo. Por isso, é importante quando se está devendo nestas modalidades, não se iludir.

Ou seja, não se pode acreditar que sairá rapidamente desse endividamento, o que pode comprometer ainda mais as suas finanças. Caso isso aconteça, o ideal é buscar uma renegociação dessas dívidas por meio de parcelamento.

O parcelamento, apesar de comprometer o crédito, possui juros menores e prazos mais generosos para pagamento. Com isso ganha-se mais fôlego e possibilidade de se fazer um planejamento melhor.

Com as finanças pessoais em ordem, a sua vida vai melhorar

Todavia, ao se fazer um parcelamento da sua dívida é preciso fazer um planejamento financeiro. Ou seja, ver onde está o problema e mudá-lo. Afinal, se não for atacada a causa, o problema continuará ocorrendo.

Entretanto, quando se consegue identificar o real problema e criar uma solução, com o tempo as finanças vão ficando mais organizadas, e a saúde financeira vai melhorando. Isso traz, sem dúvida alguma mais tranquilidade para qualquer pessoa.

E você, como está suas finanças pessoais? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia nas redes sociais.