Golpes com o cartão de crédito: principal causa ainda é engenharia social

O Brasil lidera o ranking com nada menos que 53,9% do vazamento de dados do mundo, o que de fato está acontecendo? Descubra a seguir.

Publicidade
Publicidade

Golpes com o cartão de crédito

golpes com o cartão de crédito

Recentemente foi publicado um estudo com os principais países atingidos pelo vazamento de dados de cartão de crédito.

O Brasil lidera o ranking com nada menos que 53,9%* do vazamento de dados do mundo, o que de fato está acontecendo? O que justifica mais da metade dos golpes com cartão de crédito, serem justamente no país?

Um estudo da Axur aponta engenharia social e pequenos e-commerces mais vulneráveis como a principal causa. Continue lendo e descubra mais informações e aprenda como se proteger desdes golpes que tem o Brasil como um dos principais atingidos.

* estudo realizado pela Axur, com dados do segundo trimestre de 2020.

Publicidade

Golpes com cartão de crédito no Brasil, o que justifica uma porcentagem tão grande?

Segundo o CEO da Axur, existem dois grandes vetores, que são determinantes para que isto aconteça:

Publicidade

– Brasil é um dos países mais populosos: o alto volume de cartões de crédito chama atenção de cibercriminosos, que terminam por criar mais armadilhas, considerando que existe mais “chance” em um sistema único e com milhares de usuários.

– Alta taxa de compras na internet: muitas pessoas fazem compras pela internet, então diariamente são feitas muitas transações, o que pode ser um problema para sites sem a segurança adequada.

Além disso, com o aumento das compras pela internet as pessoas acham “comum” compartilhar dados de cartão e acabam caindo mais facilmente em golpes de engenharia social e phishing.

– Pequenos e-commerces que não optam pelas devidas medidas de segurança: infelizmente algumas pequenas lojas não contam com o devido assessoramento e acabam por ficarem mais vulneráveis aos ataques criminosos.

Como se proteger dos golpes com cartão de crédito?

O primeiro passo para se proteger de golpes envolvendo o cartão de crédito é justamente entender melhor as causas. Afinal de contas quais são os maiores problemas que levam o país a liderar este ranking? Vejamos a seguir:

1 – Engenharia social associada a phishing

Um exemplo de engenharia social que levou muitos brasileiros a fornecerem os seus dados de cartão de crédito e por fim serem alvos de um crime cibernético, foi algo bem bobo até.

Um usuário do twitter, que em 27 de maio de 2020, twintou uma foto de cartões de crédito customizados com personagens de desenhos animados. Confira a reprodução literal do texto:

To customizando cartões de crédito

Quem tiver interesse manda DM

– Nome completo

– CPF

– Número do cartão

– Data de validade

– CVV

Olhando para a mensagem desta forma, parece difícil que alguém simplesmente mandaria todas as informações de cartão de crédito, para que ele fosse customizado.

Mas, pasme: houve nada menos que 11 mil retwitters! É impossível mensurar o dano dos dados expostos. Já que o alcance provavelmente foi muito maior do que 11 mil pessoas.

Mas, este golpe bobo, utilizando engenharia social e phishing (roubo de dados pessoais), expôs com certeza muito mais do que 11 mil cartões de crédito na darkweb e/ou deepweb! Dados que com certeza foram vendidos e utilizados por pessoas de má índole.

Então, a primeira grande forma de se proteger é bem simples: “não compartilhar dados pessoais ou bancários à toa, além de tomar cuidado com os sites onde compra”.

2 – Compras em maquininhas de pequenos comércios

Um golpe que também tem trazido vítimas, é aqueles onde em uma maquininha menor e transportável é adulterada. Depois de instalar um software malicioso, todos os dados dos cartões que realizam transações ficam com os dados expostos.

Para evitar este tipo de golpe, quando passar o cartão em uma maquininha pequena, faça em um comércio ou vendedor que já conheça.


Veja também:


Conclusão

Enfim, neste artigo você descobriu os principais motivos para que o Brasil seja responsável por mais da metade dos golpes cibernéticos, segundo estudo da Axur, para o 2º trimestre de 2020. Além disso, também vimos formas simples de se proteger e evitar danos. Interessante, não é mesmo? Não deixe de comentar sua opinião e compartilhar nas redes sociais!