Estamos mais propensos a abrir uma conta digital

A FICO, líder mundial de software de decisão, realizou um estudo em 14 países, incluindo o Brasil, e mostrou que os brasileiros estão mais propensos a abrir uma conta digital. Saiba mais!



Anúncios



Publicidade

Conta digital

bancos digitais

Um estudo feito recentemente em 14 países, incluindo o Brasil, sobre as mudanças que a Covid-19 trouxe em relação aos consumidores e bancos, mostrou que 65% dos brasileiros estão mais propensos a abrir uma conta online em relação ao ano passado.

Um dos pontos interessantes do estudo é que de todos os países, os brasileiros são os que possuem mais preferência em abrir uma conta por um App em vez de usar um site de banco. Só para ilustrar, 43% dos entrevistados preferem abrir uma conta por um aplicativo.

Fora isso, 36% dos entrevistados disseram ter menos intenção de abrir uma conta em uma agência bancária na comparação com o ano passado. Quer saber mais sobre esse estudo? Então continue com a gente só mais alguns minutinhos.


Veja também:



Publicidade


A digitalização dos bancos

Que há uma tendência da digitalização dos bancos, isso é inegável. Mas a verdade é que essa digitalização está acontecendo de maneira muito mais acelerada. A FICO, líder mundial de software de decisão e análise preditiva, mostrou isso por meio desse estudo.



Anúncios

Além da propensão em abrir uma conta de maneira 100% digital, o estudo também mostrou que houve um aumento na relevância das tecnologias de autenticação. Para 76% dos brasileiros elas são importantes para sua própria segurança.

Para outros 65% dos entrevistados no Brasil, as instituições financeiras precisam verificar sua identidade para a segurança do banco e para 25% dos entrevistados, elas possuem a obrigação legal de fazer isso.

Um outro ponto de destaque no estudo é que os brasileiros esperam poder resolver mais problemas sem precisar sair de casa. Só para ter uma ideia, 77% desejam provar sua identidade pelos Apps ao passo que 66% querem registrar sua biometria para uma futura autenticação sem precisar buscar outros canais.

Preocupação com dados

A pesquisa também revelou que os brasileiros estão mais abertos a fornecer aos bancos a sua biometria para proteger suas contas. Dentre elas estão a varredura facial, impressão digital ou impressão vocal.

Só para ter uma ideia, 43% dos entrevistados dizem estar totalmente de acordo que a instituição e outros 42% também concordam, desde que entendam o motivo para isso. Ou seja, apesar de abrir as contas online, a maioria está preocupada com sua segurança.

Além disso, se for solicitada a ida até uma agência bancária, ou então envios de documentos pelos correios, 24% vão buscar um concorrente, enquanto 18% disseram que irão desistir completamente do negócio.

Agora se for preciso enviar algo por e-mail ou usar um portal de identificação separado, 12% disseram que vão procurar um concorrente e 10% falaram que não pretendem seguir com o processo nesse caso.

Pandemia mudou os hábitos dos brasileiros

De acordo com Fabrício Ikeda, diretor da área de fraude e compliance da FICO, o estudo mostrou que a pandemia impulsionou várias mudanças na maneira como os consumidores se relacionam com as instituições financeiras.

O executivo ainda enaltece que qualquer banco no Brasil que não seja capaz de atender à demanda de abertura por aplicativo, provavelmente não será competitivo. Afinal, o cliente está buscando cada vez mais uma experiência digital, agradável e prática.

Ikeda ainda destaca que a autenticação biométrica tem grande adesão entre os brasileiros e por isso precisa ser adotada com mais frequência pelas instituições bancárias que queiram se firmar em um mercado cada vez mais competitivo.

A pesquisa da FICO foi realizada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021 e ouviu 14 mil adultos em 14 países sendo: Brasil, EUA, Canadá, Reino Unido, África do Sul, Colômbia, México, Austrália, Nova Zelândia, Vietnã, Indonésia, Malásia, Filipinas e Tailândia.

Foram ouvidas exatamente 1 mil pessoas de cada país. Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais.