Como fica o TED e DOC com o surgimento do Pix? Descubra!

A nova modalidade de pagamentos Pix veio para revolucionar o mundo financeiro. E como ficará o TED e o DOC? Continue a leitura e descubra.

Publicidade

TED, DOC e o surgimento do Pix

surgimento do Pix

Você já parou para pensar como ficará o TED e o DOC com o surgimento do Pix?

Se você acha que eles vão acabar, aí vai uma notícia:

Você está certo.

CARTÃO C6BANK
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO C6BANK

CASHBACK
 
MILHAS E VIAGENS
Conta digital e cartão de crédito personalizados
Você permanecerá no site atual

O TED e o DOC estão com seus dias contados.

Publicidade

E sabe quem ganha com isso? Eu e você, claro.

Publicidade

Quer saber mais? Vem com a gente mais uns minutinhos.

Por que o TED e DOC vão acabar com o surgimento do Pix?

O Pix, para quem ainda não conhece, é a plataforma de pagamentos do Banco Central.

Ela foi criada com o intuito de ser um verdadeiro Open Banking.

Ou seja, reunir todas as informações bancárias sobre uma determinada pessoa.

Com o tempo isso vai ajudar a baratear a taxa de juros dos empréstimos no país.

Porém, inicialmente a principal função do Pix será facilitar as transferências bancárias.

E isso põe, desse modo, em xeque o TED e DOC no formato como o conhecemos.

Você lembra quanto custava fazer um TED e um DOC até pouco tempo atrás?

Entre R$ 15 e R$ 20.

Além disso, o TED só era permitido em operações acima de R$ 5 mil.

Abaixo disso era preciso, entretanto, fazer um DOC.

Nesse caso, o dinheiro saía na hora da sua conta, e só entrava na conta de destino depois da meia noite.

Com o surgimento dos bancos digitais essa realidade já foi mudando…

O Nubank já oferece, portanto, transferências gratuitas para os clientes.

O Banco Inter, C6 Bank e outros bancos digitais também.

E o dinheiro, independente do valor, já entra na hora na conta de destino na primeira hora útil disponível.

Mas, você ainda precisa digitar um monte de dados para isso.

Com o Pix a transformação será, no entanto, ainda maior.


Veja também:


Como serão as transferências com o surgimento do Pix?

Transferir dinheiro com o Pix será muito mais fácil que comer chocolate. Acredite.

Você só tem que fazer o cadastro.

Isso pode ser feito no banco que você tem conta.

Esse cadastro consiste, dessa forma, em criar uma chave no Pix que pode ser:

  • Número do CPF;
  • CNPJ;
  • Telefone celular;
  • E-mail.

Assim que a chave for criada, você já estará, portanto, apto a usar o Pix.

E o lançamento oficial será no próximo dia 16 de novembro.

Então, você poderá transferir ou receber dinheiro a qualquer hora do dia.

Qualquer dia da semana.

Não importa se é sábado, domingo ou feriado.

Basta fornecer a chave do Pix e pronto.

Quer um exemplo para ver como será fácil fazer transferências?

Imagine que você tenha uma conta no Bradesco.

Então você cadastra o seu CPF como chave do Pix por lá.

Se um amigo quiser te pagar em uma manhã de domingo, você manda, portanto, o número do seu CPF para ele.

Ele transfere o dinheiro, e em poucos segundos o valor estará na sua conta do Bradesco.

Viu só como é simples usar o Pix?

E sabe o que é melhor? As transferências serão gratuitas.

Isso mesmo, você não vai pagar nada por elas.

Agora deu para entender porque o TED e o DOC estão com seus dias contados?

E quem não possui conta em banco?

Quem não tem conta em banco precisará ter uma.

Mas, aqui entre nós, hoje opções não faltam no mercado.

Além dos bancos tradicionais há uma grande variedade de bancos digitais.

Um deles é o próprio C6 Bank.

Esse banco digital nasceu no ano passado e já conta com mais de 2 milhões de clientes.

E se você tem um celular TIM tem ainda mais motivos para ter uma conta lá.

Até porque, há uma parceria entre as duas instituições.

E quem ganha com isso é o cliente que desfruta das promoções oferecidas.

Ah, e para abrir uma conta no C6 Bank não custa absolutamente nada. É de graça.

Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos nas redes sociais.