Como funciona o IOF e como calcular. Entenda!

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é um tipo de imposto que incide sobre diversas operações no mercado financeiro, sendo ela taxada de forma diferente em cada uma dessas operações.

Publicidade
Publicidade

IOF

IOF

Certamente você já deve ter ouvido falar em IOF. Mas você sabe o que ele significa e onde ele incide? Resumidamente, IOF significa Imposto sobre Operações Financeiras, sendo esse um tributo federal que incide sobre transações financeiras específicas.

Dentre as transações financeiras que possuem a incidência do IOF, estão as operações de crédito, câmbio, seguros e até mesmo os títulos e valores mobiliários. Ele é regulamentado pelo decreto nº 6.306 de 2007.

Esse decreto o denomina como Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários. O principal objetivo da União com esse imposto é controlar e acompanhar onde estão as ofertas de crédito no Brasil.

CARTÃO BANCO INTER
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO BANCO INTER

SEM ANUIDADE
 
CASHBACK
Cartão de crédito ou débito, internacional com custo ZERO
Você permanecerá no site atual

Como funciona o IOF?

Como existem diversos tipos de taxas para cada tipo de operação, o IOF funciona de maneira diferente para cada uma delas. Além dessa diferenciação, ele é um imposto que está em constante alteração também.

Publicidade

IOF em operações de crédito

No caso do IOF em operações de crédito como a contratação de algum financiamento ou empréstimo por pessoas físicas, a taxa de IOF é de 0,0082% ao dia, sendo que ela pode chegar a até 3% ao ano.

Publicidade

Já no caso das pessoas jurídicas, essa contratação de crédito é menor, sendo a alíquota de 0,0041% em que o limite é de 1,5% ao ano. Fora isso também existe a cobrança de 0,38% que incide sobre o valor total do crédito contratado. Nesse último caso não há cobrança das parcelas.

IOF em cartão de crédito e cheque especial

Fora o que dissemos, há ainda a incidência do IOF em cartão de crédito e cheque especial. No caso do cartão de crédito, o pagamento de IOF só acontece quando há um atraso no pagamento da fatura do mês em compras parceladas ou não.

A taxa cobrada pelos bancos no caso do cartão de crédito e do cheque especial é de 0,38% ao mês, mais a taxa de 0,0082% ao dia, limitado a 3%. Isso vale até a dívida ser inteiramente quitada.

Já para quem quer fazer compras no exterior usando o cartão de crédito, o custo é ainda mais pesado, sendo que tanto pela internet quanto em viagens, a taxa de IOF cobrada é de 6,38%. Por isso, muita gente opta por contas no exterior como a conta Global do C6 Bank.


Veja também:


IOF em câmbio e seguros e aplicações

Uma outra incidência do IOF está em operações de câmbio e seguros. No caso do câmbio, a venda de moeda em espécie possui IOF de 0,38% ao passo que em operações de compra a alíquota é de apenas 1,1%. Já nas operações de envio ou recebimento de remessas ao exterior, a alíquota é de 0,38%.

No caso dos seguros existem diversas taxas de IOF, sendo que elas podem chegar a até 25% dependendo do tipo de seguro. O ideal nesse caso é fazer uma consulta antes da contratação para saber a qual alíquota pertence o plano.

Os seguros de vida e de acidentes pessoais, também sofrem taxação de IOF, nesse caso de 0,38% sobre o prêmio do seguro. Para outros tipos como o de automóveis, por exemplo, é cobrado um IOF de 7,38%.

Por fim, algumas aplicações financeiras como CDB, Tesouro Direto, LCI e Fundos Multimercados sofrem incidência do IOF. Algumas outras aplicações como Poupança e Ações já não.

Nesses casos, a alíquota é cobrada sobre o rendimento da aplicação, sendo que em resgates após 30 dias de investimentos não há a cobrança de IOF, apenas do respectivo Imposto de Renda ao qual a aplicação está sujeita.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.