O que sabemos até agora sobre o Real Digital? Descubra!

O Banco Central do Brasil, indo de encontro a uma tendência mundial, anunciou recentemente que está estudando a possibilidade de criar a sua moeda digital chamada de Real Digital.

Real Digital

Real Digital

Recentemente o Banco Central do Brasil anunciou que está estudando a possibilidade de criar uma moeda digital que funcionará como uma extensão da moeda física. Trata-se do Real Digital que pode até parecer surpreendente para algumas pessoas.

As diretrizes para a criação da moeda digital foram anunciadas pelo Banco Central em maio deste ano, e seguem uma tendência mundial. Afinal, segundo dados publicados pela The Economist, 80% das autoridades monetárias já estão caminhando para fornecer esse tipo de tecnologia.

A Europa e a China estão um pouco mais à frente na implantação desse projeto, ao passo que os Estados Unidos estão um pouco mais atrasados na criação do Dólar Digital, até mesmo quando comparado ao Brasil.

CARTÃO BANCO INTER
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO BANCO INTER

SEM ANUIDADE
 
CASHBACK
Um cartão de crédito repleto de benefícios!
Você permanecerá no site atual

Mas, afinal, o que é o Real Digital?

O Real Digital tende a ser a nova moeda virtual do Banco Central. Essa é uma nova categoria chamada de moedas digitais dos bancos centrais, conhecida pelo termo em inglês Central Bank Digital Currency (CBDC).

Em linhas gerais, ela funciona como um “token” que é um tipo de moeda inteligente. Ou seja, ela vai servir para estimular novos projetos de negócios em uma economia digital, o que vai facilitar transações e a implementação dos chamados contratos inteligentes.

Além disso, a responsabilidade sobre o dinheiro muda. Afinal, hoje o que está depositado em um banco é de responsabilidade daquela instituição. Já os reais digitais serão responsabilidade do Banco Central. Nesse caso seriam criadas novas contas.


Veja também:


E como seria a aquisição do Real Digital?

A distribuição do Real Digital seria feita ao público em geral por meio do Sistema Financeiro Nacional (SFN), e do Sistema Brasileiro de Pagamentos (SBP). Para realizar a aquisição será necessário realizar a troca com reais físicos.

Cada R$ 1 conseguirá adquirir 1 Real Digital. Na medida em que a população vai realizando a troca, os reais físicos vão saindo de circulação. Com o tempo há uma grande expectativa da moeda física simplesmente acabar.

O Banco Central destaca que a tecnologia por trás da moeda digital está seguindo todas as recomendações internacionais e normas legais sobre prevenção à lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo, e financiamento da proliferação de armas de destruição em massa, cumprindo inclusive ordens judiciais para rastrear operações ilícitas.

Quais são os principais benefícios do Real Digital?

Há diversos benefícios em relação a implantação do Real Digital. O principal deles diz respeito a redução de custos para impressão do dinheiro, assim como toda a logística de distribuição desse papel-moeda.

Além disso, haverá mais facilidades em transações e menos risco de uma corrida bancária em caso de crise financeira. Há quem diga inclusive que essa pode ser a solução de inúmeros problemas macroeconômicos como inflação, recessão etc.

Qual é a diferença do Real Digital para uma criptomoeda?

Há algumas diferenças entre o Real Digital e as criptomoedas como Ethereum e Bitcoin. A primeira delas é a previsão de uso nos pagamentos de varejo que são mais restritos para quem usa BTC ou ETH.

Uma outra diferença é a capacidade de atuar on-line e off-line, além da garantia jurídica nas operações e possibilidade de rastreamento em operações ilícitas. Além disso, por ser emitido pelo Banco Central, o ativo sofre regulamentação, o que não acontece com outras criptomoedas.

O projeto ainda está em sua fase inicial, e deverá ter um prazo de dois a três anos para o seu lançamento. Neste início, o BC está abrindo diálogo com várias autoridades para prosseguir com o estudo e criação do Real Digital.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.