Juros do cartão de crédito voltam a subir após 8 meses de queda

Nova alta nas taxas para o consumidor. Os juros do cartão de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal voltaram a subir após oito meses de queda. Entenda.

Juros do cartão de crédito voltam a subir

Juros do cheque especial

A taxa de juros do cartão de crédito, cheque especial e empréstimo pessoal voltou a subir após oito meses de queda.

Essa elevação exige mais cautela por parte do consumidor no momento de tomar um empréstimo ou de pagar o mínimo na fatura do cartão.

A Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac) fez uma pesquisa com 6 linhas de crédito para pessoas físicas. Em todas houve aumento na taxa de juros.

Quer saber mais sobre essa alta na taxa de juros? Então continue mais alguns minutinhos por aqui.

Por que houve esse aumento na taxa de juros?

De acordo com Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor executivo de estudos e pesquisas da Anefac, vários fatores influenciaram essa alta na taxa de juros.

Dentre eles está o aumento na expectativa da taxa básica de juros da economia (Selic) bem como a elevação dos juros futuros.

Fora isso, o desemprego alto, fim do auxílio emergencial, elevação da inflação e seus efeitos sobre a renda, colaboram para o aumento da inadimplência.

Com a expectativa de mais inadimplência, os bancos se tornam mais seletivos na concessão de crédito, o que impacta no aumento da taxa de juros.

Como ficou a taxa de juros para a pessoa física?

De acordo com a Anefac, a taxa de juros média para pessoa física cresceu 0,91% no ano, e passou de 5,51% ao mês em novembro para 5,56% ao mês em dezembro.

O cartão de crédito foi o que teve maior elevação de juros, passando de 10,97% em novembro para 11,07% em dezembro, crescimento de 0,91% ao ano.

Já os juros do cheque especial cresceram menos, saindo de 6,96% ao mês em novembro para 7,02% ao mês em dezembro. Crescimento de 0,86% ao ano.

Os juros do empréstimo pessoal concedido pelos bancos cresceram 0,64% ao ano, saindo de 3,10% ao mês em novembro e indo para 3,14% ao mês em dezembro.

Já os juros do empréstimo pessoal feito por financeiras cresceram em um ritmo menor. Nesse caso a elevação foi de 0,49% ao ano. Dessa forma, a taxa saiu de 6,14% em novembro e foi para 6,17% em dezembro.

A taxa de juros do comércio foi a que menos se elevou, saindo de 4,62% ao mês em novembro para 4,64% ao mês em dezembro.


Veja também:


O momento exige cautela na hora de tomar um empréstimo

Por conta desse aumento na taxa de juros, o momento exige bastante cautela por parte do consumidor. E, claro, mais pesquisa antes de tomar um dinheiro emprestado.

Mais do que nunca é preciso fazer uma boa comparação entre as financeiras e bancos para encontrar a melhor linha de crédito que se encaixa no seu perfil.

Além disso, evite ao máximo pagar o mínimo da fatura do seu cartão de crédito. Pois, com essa alta, o valor da sua dívida vai crescer muito rapidamente.

Se você estiver precisando de dinheiro para pagar as contas, uma boa opção nesse momento é o empréstimo com garantia que possui prazos mais estendidos e taxas de juros reduzidas.

Agora, se você não tiver nenhum carro, moto ou casa para colocar em garantia, uma outra possibilidade é abrir uma conta digital no Banco Pan.

Assim que você abre a conta já passa por uma análise de crédito e pode ter um empréstimo pessoal aprovado sem burocracia com taxa de juros diferenciadas.

Independente de qual for a sua opção, faça um bom planejamento para não se atrapalhar. Se gostou deste artigo compartilhe com seus amigos nas redes sociais.