Pandemia acelera o crescimento de bancos digitais. Entenda!

Com a chegada da pandemia, houve um crescimento muito rápido dos bancos digitais no Brasil, o que também contribuiu com a própria digitalização dos bancos tradicionais que iria levar mais tempo para acontecer.

Bancos digitais

pandemia e bancos digitais

A pandemia chegou para mudar a vida de muita gente, e acabou acelerando algumas tendências do mercado. Uma delas foi o crescimento dos bancos digitais, que chegaram para mudar de vez a nossa relação com o dinheiro.

Afinal, agências fechadas, orçamento mais apertado e até a necessidade de receber o auxílio emergencial de maneira mais rápida contribuíram para que grande parte dos brasileiros abrissem uma conta digital.

Só para ter uma ideia, há dois anos o Nubank tinha 12 milhões de clientes. Hoje a instituição já ultrapassou os 40 milhões de usuários, ou seja, um salto expressivo em apenas um breve período de tempo.

CARTÃO NEON
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO NEON

SEM ANUIDADE
 
FÁCIL ACEITAÇÃO
Cartão de crédito Visa, sem custo e lindo
Você permanecerá no site atual

O crescimento dos bancos digitais durante a pandemia

Mesmo antes da pandemia, a digitalização dos bancos já era vista como uma tendência. Inclusive, essa movimentação havia começado alguns anos antes. Contudo, nos últimos dois anos o crescimento foi estrondoso.

Não só no número de usuários que passaram a optar por ter uma conta em um banco digital, como também no número de instituições que chegaram para competir. Dentre os principais players estão o Nubank, Inter, C6 Bank, Neon e até o Banco Pan.

Maxnaun Gutierrez, head de Produtos e Pessoa Física do C6 Bank, observa que além das medidas de isolamento e da necessidade de conter gastos, o pagamento do auxílio emergencial mais rápido também levou muita gente a abrir conta na instituição.

Afinal, quando o auxílio emergencial é liberado, há um tempo para que possa ser sacado, contudo, é possível pagar contas na hora. E como os bancos digitais permitem depósitos por meio de pagamentos de boletos, essa foi a solução encontrada por muita gente.


Leia também:


Crescimento dos bancos digitais superou o crescimento dos bancos tradicionais

De acordo com uma pesquisa realizada pelo C6 Bank em parceria com o Ipec em abril deste ano, 57% dos entrevistados disseram que abriram contas em bancos digitais nos últimos dois anos após a pandemia.

No entanto, 47% das pessoas disseram que ainda são clientes dos bancos tradicionais, sendo que 10% delas disseram ter abandonado de vez essas instituições. A pesquisa também mostrou o grau de satisfação dos consumidores.

Para se ter uma ideia, 41% deles afirmaram estar totalmente satisfeitos com os bancos digitais, e 25% disseram o mesmo em relação aos bancos tradicionais. Ou seja, há uma grande diferença de satisfação aí.

Além disso, a pesquisa também mostrou que o acesso é maior entre a população mais jovem. Pois, entre os brasileiros de 16 a 24 anos as transações nos bancos digitais (51%) já superam as dos bancos tradicionais (41%).Vale destacar que a pesquisa ouviu duas mil pessoas das classes A, B e C que possuem acesso à internet.

Banco Central teve um papel importante neste crescimento

Embora a população tenha se habituado rapidamente ao mundo digital, houve um papel de regulação importante do Banco Central. Pois, ele foi bastante sensível à necessidade da população brasileira neste momento.

Até porque, a instituição levou a proposta de abertura 100% digital de uma conta corrente, além de criar outros mecanismos importantes como o Pix e o Open Finance que estão contribuindo para a digitalização dos bancos.

Dessa forma, não são apenas os bancos digitais que estão brigando pela atenção dos clientes. Os bancos tradicionais também estão se adaptando e lançando novos serviços para manter e fidelizar os seus usuários.

Rafael Schiozer, professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV Eaesp), diz que a onda dos bancos digitais acelerou o processo de digitalização que demoraria mais tempo para chegar às instituições tradicionais.

Ele ainda destaca que as próximas áreas que devem ver mudanças significativas são as de pagamento e de crédito na medida em que o open finance vai sendo introduzido por aqui. É o futuro chegando de vez em nossas vidas.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais, e nos ajude a disseminar o conhecimento.