Pandemia: especialistas apontam como recuperar as finanças em 2021

Os problemas econômicos causados pela pandemia atingiram milhões de brasileiro. Como superar essa crise? Continue a leitura e descubra nossas recomendações.

Publicidade
Publicidade

Como recuperar as finanças em 2021

Pandemia: especialistas apontam como recuperar as finanças em 2021

Muitos brasileiros entraram em dificuldade durante o ano de 2020. Infelizmente, além da instabilidade em relação à saúde ainda vieram os problemas econômicos. 

A seguir você vai ver dicas de Ciro Almeida, ex-diretor do Bacen, e Carlos Eduardo Freitas, economista, sobre como ficar no azul. 

Além disso, veremos pesquisas feitas pela CNC – Confederação Nacional de Comércio e Bens, e também pela FGV – Fundação Getúlio Vargas.

10 Dicas de como ficar no Azul por Ciro Almeida e Carlos Eduardo Freitas

Veja as dicas destes economistas com experiência no mercado de finanças e economia. As ideias que você vai ver a seguir podem ser úteis para diminuir o endividamento e aumentar a qualidade de vida.

Publicidade

Veja também:


1 – Faça as contas

Deixe claro em um papel o que você precisa pagar, as contas que podem vir e o que você pode negociar. Se você conseguir centralizar as dívidas para não perder o controle e buscar uma forma de ter maior controle sobre o que você precisa pagar.

Publicidade

2 – Veja qual o seu ganho total

Some todas as suas receitas, desde salário, aluguéis, renda extra e outros. Tenha em mãos qual o seu ganho total e o que você pode fazer para aumentá-lo.

3 – Pague primeiro as contas que podem gerar mais dívidas

Contas com alto nível de juros como o cartão de crédito e cheque especial devem ser priorizadas para evitar que endividamento se alastre demais. 

4 – Prefira pagamentos à vista

Quando for realizar uma compra prefira pagamentos à vista, seja dinheiro, crédito ou débito. Procure parcelar, de preferência, apenas compras que você não repete todo mês. 

5 – Negocie e peça descontos

Se você está comprando com dinheiro ou no débito, ou crédito em uma vez, onde couber negociação, não pense duas vezes.

6 – Faça uma reserva

Busque poupar pelo menos 10% dos seus rendimentos e aplique em algum tipo de investimento seguro. Para que, desta forma, você possa fazer uma reserva de emergência ou aposentadoria complementar.

7 –  Não compre por impulso

Tome cuidado para não comprometer sua renda com gastos impulsivos e desequilibrar o seu orçamento.

8 – Imprevistos

Se passar por um imprevisto financeiro, reveja seu orçamento assim que puder, e busque se adaptar.

9 – Cheque especial

Evite dívidas com cheque especial e não confunda cheque especial com dinheiro extra. Cheque especial é um empréstimo rápido e com taxas bem altas.

10 – Empréstimos, contratos e dívidas

Se você tiver feito um empréstimo recentemente, não esqueça de verificar os juros por atraso, e tome cuidado para não tornar tudo uma bola de neve.

Pesquisa da CNC – endividamento das famílias e crédito 

A Peic – Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor – é feita desde 2010 pela CNC. Ela demonstrou que metade das famílias brasileiras costumam ter dívidas, mas isto piorou chegando a quase 70% (67,5%).

Segundo a especialista Izis Ferreira, responsável pela pesquisa, as pessoas acabaram  priorizando as compras básicas, como alimentos. Quanto às dívidas, a maior parte das pessoas preferiu focar nas contas que já tinham e não aderir a novos compromissos. 

Pesquisa da FGV, Sebrae e CNC – crédito às empresas e geração de empregos

Nos últimos três meses, segundo a CNC, o endividamento chegou também às famílias que têm renda maior que 10 salários mínimos. A questão é que justamente esta classe costuma gerar emprego para os demais. 

Com a dificuldade financeira se instalando, a solução para manter os negócios ativos foi buscar empréstimos. 

Segundo a FGV, em levantamento feito no início do ano, em relação a 2019 a procura de PMEs (pequenas e médias empresas) por empréstimo cresceu 75%.

Mas segundo a Gyra+, empresa de empréstimos online, o aumento da procura por empréstimos de PMEs foi de 300%. 

Além disso, o Sebrae também notou o aumento da procura pelo Crédito Assistido, onde o empreendedor tem acesso a crédito junto a consultoria sobre sobre os negócios. 

Enfim, neste conteúdo você descobriu como sair das dívidas e gerenciar melhor as suas finanças. Por fim, vimos dados de pesquisas que foram feitas e que demonstram como o endividamento e crédito estão se comportando no país.

Legal, né? Não esqueça de compartilhar nas redes sociais! 😉