Bitz: conheça a nova carteira digital do Bradesco

O Bradesco investe no mundo online. Conheça sua nova carteira digital, o Bitz Bradesco. O objetivo do banco é alcançar a população desbancarizada. Confira.

Bitz Bradesco

Bitz

O Bradesco entrou para valer na nova era. E na última segunda-feira (14) lançou o Bitz, a sua nova carteira digital.

O banco pretende atingir a população desbancarizada com este lançamento. Além disso, a expectativa é alcançar uma fatia de 20% a 25% do mercado nos próximos três anos.

A sede da nova companhia será no InovaBra, na cidade de Deus em Osasco. Lá é o berço das startups do Bradesco.

A novidade está sendo anunciada, desse modo, dois meses antes do lançamento oficial do Pix – a solução de pagamentos instantâneos do Banco Central que promete revolucionar o mercado de pagamentos.

Curt Zimmermann, recrutador que ficará à frente do Bitz Serviços Financeiros, disse que o Pix será a base para que o Bitz funcione bem.

Bradesco lança o Bitz em um bom momento

Zimmermann afirmou que no Brasil ainda há uma grande fatia da população que não possui conta bancária. Desse modo, o foco da empresa será atender essas pessoas.

Afinal, o Bitz atende muito bem quem deseja entrar no mercado financeiro. Ou seja, ele é mais uma agregação do que uma oferta aos clientes atuais.

Curt Zimmermann acredita que atingir 25% da população desbancarizada é uma meta agressiva. No entanto, o banco não irá poupar esforços para isso.

A ideia é realizar novas aquisições, sendo que duas já estão sendo traçadas. É dessa maneira que o banco pretende agregar mais tecnologia ao produto atraindo mais clientes.


Veja também:


Serviços que serão oferecidos pela startup

O Bitz irá oferecer o armazenamento de dinheiro e também a realização de pagamentos na plataforma. Fora isso, o cliente também poderá fazer transferências, recebimentos, pagamentos via QR Code, compras online e recarga de celular.

Mais de 1,5 milhão de maquininhas espalhadas pelo Brasil aceitarão a carteira de pagamento do Bradesco. 

Um outro ponto positivo é que os vendedores poderão oferecer links de pagamento para receber de seus clientes. Isso vai gerar mais facilidade e comodidade para a realização de vendas.

Serão investidos R$ 100 milhões nos próximos 12 meses para viabilizar toda a operação do Bitz. Caso aconteçam outras aquisições nesse tempo, será investido mais capital.

A estratégia por trás do Bitz

A estratégia em fazer uma empresa separada do Banco é entrar de vez no mundo das fintechs. 

Zimmerman explicou, em uma coletiva de imprensa, que o banco quer viver o mundo das fintechs de forma completa. Sentindo assim a velocidade e flexibilidade que caracterizam esse meio.

Para se manter, a startup vai gerar receitas através de comissões de vendas que serão realizadas no aplicativo e também das operações de recarga de celular e saques feitos com o cartão Bitz na rede 24 horas.

A Cielo, que é controlada pelo Bradesco e Banco do Brasil, é a empresa que vai prestar os serviços de tecnologia do novo produto.

Entrando de vez no mundo digital

O Bradesco está entrando de vez no mundo digital com esse lançamento. Afinal, o serviço será semelhante ao que já é oferecido pelo Mercado Pago e pelo PicPay.

A procura por carteiras digitais cresceu bastante durante a pandemia. O PicPay alcançou a marca de 20 milhões de clientes bem antes do previsto.

Por isso, o Bradesco já vinha de olho neste mercado que se apresenta tão promissor. Essa é uma das razões pelo estabelecimento de uma meta tão agressiva.

Como é possível ver, estamos vivendo novos tempos. As fintechs estão chegando para ficar, e os bancos tradicionais como o Bradesco estão embarcando nessa nova tendência.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.