Entenda a evolução dos meios de pagamento nos últimos 10 anos

A última década foi marcada por uma verdadeira revolução nos meios de pagamento. Inclusive, algumas soluções como bancos digitais, carteiras digitais e transferências instantâneas jamais eram pensadas há dez anos.

Evolução dos meios de pagamentos

evolução dos meios de pagamentos

25 de outubro de 2011, como era a sua vida? Possivelmente você já tinha alguma rede social, mas é bem provável que nem pagamentos e nem transferências você devia realizar por canais digitais, não é mesmo?

Além disso, os smartphones estavam apenas começando, e poucas eram as pessoas que o possuíam. A maioria dos brasileiros, sem ter um PC ou um notebook, costumava fazer tudo o que precisavam dentro de uma agência bancária.

Ademais, os cartões de crédito ainda eram pouco usados, sendo que o pagamento por dinheiro em espécie predominava. De lá pra cá muita coisa mudou, e é sobre isso que vamos falar neste artigo. Então vem com a gente.

CARTÃO MÉLIUZ
CARTÃO DE CRÉDITO

CARTÃO MÉLIUZ

CASHBACK
 
SEM ANUIDADE
Cartão de crédito que te devolve até 1,8% do dinheiro gasto na fatura
Você permanecerá no site atual

A chegada dos cartões virtuais

Se tem algo que há 10 anos ninguém imaginaria existir são os cartões virtuais que estão se popularizando a cada dia. Ele nada mais é que um cartão de crédito online que tem o código de segurança gerado temporariamente.

Dessa forma, quem costuma fazer compras e vendas online conta com muito mais segurança, uma vez que se o cartão for clonado, o golpista poderá não conseguir fazer nada com ele, por conta do código ter expirado.

As carteiras digitais, uma verdadeira revolução

Além dos cartões virtuais, uma grande inovação dos últimos anos são as carteiras digitais. Elas permitem que você cadastre seus cartões de crédito e débito para a realização de compras tanto físicas quanto digitais.

As mais conhecidas como o PicPay ainda permitem a introdução de dinheiro dentro delas por meio do pagamento de boletos bancários. Essa é uma maneira de fazer pagamentos de contas e compras sem a necessidade de levar o cartão no seu bolso.


Leia também:


Bancos digitais

Quem há dez anos poderia imaginar que hoje as agências bancárias estariam com seus dias contados? Pois é, na medida em que os bancos digitais avançam, novos serviços são introduzidos para facilitar a vida dos brasileiros.

Hoje, é possível fazer absolutamente tudo através dos bancos digitais, seja um pagamento de conta, uma transferência ou até mesmo um depósito com cheque. Sem contar, que a chegada dos bancos digitais também popularizou os investimentos no país.

Pagamento por aproximação

O pagamento com cartão de crédito e débito já era uma realidade há dez anos. No entanto, poucos imaginariam que atualmente basta aproximar o cartão da maquininha para que o pagamento seja aprovado.

Isso acontece por conta da tecnologia NFC que é a sigla para Near Field Communication. É graças a ela que você não precisa mais inserir o cartão na maquininha. Em 2011, isso era sequer pensado pelos brasileiros.

PIX

Uma outra tecnologia que existia na época, mas era pouco aprimorada eram as transferências bancárias. Até então elas poderiam ser feitas somente por TED ou DOC e tinham um custo para isso.

Além disso, uma transferência via DOC saia da conta de origem no ato e caía na conta de destino somente na virada do dia. Já a TED caía no mesmo dia, porém só poderia ser realizada com valores maiores de R$ 5 mil.

Ah, e isso somente poderia ser feito de segunda à sexta durante o expediente bancário. Agora você pode fazer transferências a qualquer hora do dia, qualquer dia da semana sem custo nenhum via Pix. Uma verdadeira revolução.

Cashback

Por fim, um último conceito é o cashback. Apesar de já existir há muito tempo nos Estados Unidos, ele chegou ao Brasil na última década. Na sua tradução literal, cashback significa dinheiro de volta.

Nesse caso, parte do que você gasta, volta em dinheiro para sua conta. Atualmente, existem cartões de crédito como Méliuz e Banco Inter que oferecem cashback em todas as compras realizadas.

Viu só como evoluímos em apenas dez anos? Se gostou deste artigo não deixe de compartilhar com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.