Nubank altera política de privacidade para combater fraude

O Nubank alterou a política de privacidade para evitar fraudes. A iniciativa visa investigar possíveis fraudes tanto no cartão de crédito quanto na conta digital.

Nubank altera política de privacidade

Empréstimo do Nubank

Você sabia que o Nubank está alterando a sua política de privacidade para evitar fraudes? Os clientes estão sendo informados por e-mail sobre a mudança.

Dentre as alterações, houve a inclusão de uma cláusula adicional nos termos de privacidade autorizando a fintech a compartilhar os seus dados pessoais e financeiros com a polícia e com instituições autorizadas pelo Banco Central.

A iniciativa visa investigar possíveis fraudes tanto no cartão de crédito quanto na conta digital do Nubank. No e-mail da instituição diz que:

“Com essa atualização, em casos de suspeita de fraude, podemos compartilhar algumas informações suas com instituições financeiras e também com autoridades policiais, com o objetivo de ajudar a combater essas atividades criminosas”.

Novos termos na política de privacidade do Nubank

Os novos termos criados pelo Nubank visam minimizar as fraudes que vinham acontecendo com certa periodicidade na fintech. Os novos termos, no entanto, dizem:

  • Para fins de apuração de eventual fraude, você autoriza o Nubank e empresas do mesmo grupo econômico a compartilhar suas informações – incluindo, mas não se limitando a dados pessoais, histórico de crédito, operações ativas e passivas, serviços e produtos contratados, entre outros – com instituições financeiras e instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil, bem como com autoridades policiais.

Para quem deseja fazer a comparação com a antiga política de privacidade pode realizar a consulta no Internet Archive.

Fora esta cláusula que foi inserida não houve nenhuma outra alteração na política de privacidade do Nubank.


Veja também:


Serão usados localização e selfie contra fraudes

Não é de hoje que o Nubank está buscando criar medidas para minimizar as fraudes e aumentar a segurança. No ano de 2017, a fintech já havia mudado a política de privacidade e incluído o uso da localização do celular.

Com isso a empresa consegue saber se o cliente realmente está no mesmo local onde uma compra está sendo realizada com os dados do seu cartão de crédito.

No ano seguinte, foi adotado, contudo, a biometria por selfie com o intuito de combater tentativas de falsidade ideológica.

Entretanto, apesar de toda segurança, ainda assim os golpes aconteceram. Houve o caso de um cliente que enviou uma foto com RG para um suposto funcionário do Nubank, que na verdade era um golpista que usou a falsa identidade para realizar um empréstimo de R$ 12 mil na Nuconta.

O Nubank já é, portanto, a sexta maior instituição financeira do país em número de clientes, perdendo apenas para os grandes bancos tradicionais. Por conta disso, a fintech se torna cada, desse modo, vez mais alvo de golpistas.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.