Nubank triplicou a base de clientes no ano de 2019 – Confira!

Recentemente o Nubank divulgou os resultados financeiros do ano de 2019, e os números foram simplesmente surpreendentes.

A receita bruta anual dobrou em relação ao ano anterior, enquanto que a base de clientes triplicou entre os dois períodos. No começo deste ano, a startup brasileira atingiu a marca de 20 milhões de correntistas.

O faturamento do Nubank, portanto, fechou o ano de 2019 em R$ 2,1 bilhões. Tal faturamento é resultado das receitas financeiras compostas de juros e rendimentos, bem como das receitas operacionais que é o percentual relativo à cada transação que fica na empresa.

Prejuízo do Nubank triplicou no mesmo período

Embora a instituição tenha comemorado o crescimento das receitas e da base de clientes, o prejuízo triplicou no mesmo período. 

De acordo com o próprio Nubank, o prejuízo faz parte da estratégia da empresa neste momento que aumentou os investimentos acima do lucro líquido gerado no balanço. Dentre esses investimentos está a contratação de mais de 1 mil funcionários.

Sendo assim, o crescimento do prejuízo foi de aproximadamente 212% o que representa uma perda de R$ 313 milhões.

Segundo Gabriel Silva, vice-presidente de finanças do Nubank, o resultado líquido da instituição está diretamente ligado ao ritmo de crescimento. Por isso o banco decidiu investir para poder crescer e oferecer os serviços a um número maior de usuários.

Ainda de acordo com Silva, o Nubank poderia ter mantido o ritmo anterior de investimentos, o que faria com que o resultado ajustado de 2019 fosse positivo. No entanto, isso impossibilitaria tal crescimento que foi resultado desta escolha.


Veja também:


A fintech pretende ir ainda mais longe em 2020

No ano de 2019 foram lançados diversos novos produtos pela instituição, dentre eles o empréstimo pessoal. Além disso, quase 2 milhões de clientes são elegíveis, ou seja, isso corresponde a uma carteira de crédito de aproximadamente R$ 254 milhões.

Uma outra informação é que a inadimplência caiu 10,4% em 2019, sendo que o índice de atraso acima de 90 dias fechou o ano em 6,6%. Para este ano de 2020, as metas da fintech são ainda mais agressivas.

O banco pretende, desse modo, se expandir para toda América Latina, e para isso já conta com um escritório na Argentina. Além disso, usando a marca Nu, a fintech já começou a liberar cartões de crédito no México.

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia nas redes sociais com seus amigos.