Pesquisa: consumo das classes C e D avançam

O Superdigital, fintech do grupo Santander, realizou uma pesquisa com seus clientes para entender os hábitos de consumo das classes C e D no 4º trimestre de 2020. Confira os resultados!

Publicidade
Publicidade

Pesquisa Superdigital

Pesquisa da Superdigital

No quarto trimestre de 2020 os brasileiros das classes C e D gastaram 9% a mais do que no terceiro trimestre do ano passado. Os dados são da primeira pesquisa de hábitos de consumo da Superdigital.

A pesquisa foi realizada com os clientes da fintech que pertence ao grupo Santander e que possui mais de 1,7 milhão de contas ativas em todo Brasil. Esse levantamento foi feito com base nas transações realizadas pelos clientes.

A partir de março de 2021 esse levantamento será feito mensalmente, visando entender melhor o perfil do consumidor dessas classes sociais. Quer saber mais sobre a pesquisa Superdigital? Então vem com a gente neste artigo.

O que diz a pesquisa Superdigital?

O principal dado revelado pela pesquisa Superdigital é que o consumo das famílias das classes C e D está se recuperando. No entanto, esse pode ser apenas reflexo do pagamento das últimas parcelas do auxílio emergencial.

Publicidade

Dentre os setores que apresentaram mais crescimento no período, está o transporte urbano, que cresceu 19% no 4º trimestre frente ao 3º trimestre do ano passado. Na sequência veio o setor de bares e restaurantes com 13%.

Publicidade

Esse crescimento do setor de transportes e bares e restaurantes é justificado pelo afrouxamento do isolamento social no final do ano passado. No entanto, com o agravamento da pandemia nesse início de ano, esses dados não deverão se manter.

Outro setor que também cresceu no final do ano passado foi o segmento de vestuário com alta de 11%, seguido de supermercados com crescimento de 10% e passagens aéreas que cresceram 7%.


Veja também:


Dados poderão mudar neste início de ano

Conforme é possível ver na pesquisa, os setores que mais apresentaram crescimento foram aqueles que estavam com uma demanda reprimida. Ou seja, assim que afrouxou o isolamento social, tiveram uma alta no faturamento.

No entanto, com o aumento de mortes e de casos de Covid-19 neste início de ano, os hábitos de consumo deverão reverter-se no próximo relatório. Um dado interessante é que considerando somente o quarto trimestre, 31% do total do consumo foi em supermercado.

Por conta da inflação no setor alimentício, as classes C e D foram as que mais perderam poder de compra no supermercado. Como consequência, os gastos neste segmento passaram a abocanhar um percentual maior da renda dos trabalhadores.

Rio de Janeiro teve o maior avanço no consumo

Quando considerado apenas o Rio de Janeiro, o avanço no consumo das classes C e D foi ainda maior, chegando a 22%. No entanto, a lógica de gastos se manteve, com o setor de transportes crescendo 13% e bares e restaurantes crescendo 8%.

Um dado interessante do quarto trimestre do ano passado é que as compras online recuaram em quase todos os itens, sendo liderado pelos serviços que caíram 13% e por restaurantes delivery que recuaram 5%.

Essa queda no consumo online do 4º trimestre de 2020 é justificada, como já dissemos, pelo afrouxamento do isolamento social no período. Por isso, esses números deverão se reverter já no próximo relatório.

De acordo com Luciana Godoy, CEO da Superdigital no Brasil, “com a abertura gradual do comércio, houve um acréscimo nas compras físicas em detrimento do e-commerce, fato já esperado. Mas podemos notar que o recuo não foi tão grande, e parte substancial do consumo ainda permanece pelas vias online, o que mostra que a mudança de comportamento foi mesmo acelerada pela pandemia e as compras em e-commerce vieram para ficar”.

O Superdigital é uma fintech do grupo Santander que oferece uma conta digital completa para seus clientes e já conta com 1,7 milhão de correntistas. Gostou deste artigo? Então compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais.