Juros do crédito consignado estão mais baixos!

O crédito consignado já é conhecido por ter os menores juros do mercado, no entanto, recentemente as taxas médias dessa modalidade caíram ainda mais. Por quê? Descubra neste post!

Publicidade
Publicidade

Juros do crédito consignado

Crédito consignado

Os juros do crédito consignado já são conhecidos por serem os menores do mercado. Afinal, esse é um tipo de empréstimo um pouco mais seguro para as instituições bancárias, pois a parcela dele é descontada diretamente na folha de pagamento.

No entanto, em novembro do ano passado, que foi o último dado disponível, as taxas médias caíram de 21% para 18%. Os juros chegaram no piso histórico de 1,4% ao mês para essa modalidade. Ou seja, nunca estiveram tão baixos.

Uma das justificativas para essa diminuição está na própria queda da Taxa Selic que atingiu o menor patamar da história no ano passado, chegando a 2% ao ano. Quer saber mais sobre a queda dos juros do crédito consignado? Continue com a gente.

Por que os juros do consignado estão tão baixos?

Conforme antecipamos, uma das razões para o crédito consignado estar tão barato é a queda que a Taxa Selic teve ao longo de 2020. Outro motivo foi o aumento na oferta desse produto no mercado.

Publicidade

Novos competidores entraram, e bancos médios que até então não atuavam nessa modalidade, passaram a investir pesado na captação de clientes para essa linha de crédito. De acordo com a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), o número de bancos médios e fintechs que passaram a oferecer o consignado saltou para 30.

Publicidade

Alex Sander Gonçalves, diretor da ABBC e executivo do Banco Pan, destaca que há uma tendência no aumento da competitividade. Afinal, uma grande parte da carteira ainda está nas mãos dos grandes bancos, e há espaço para o crescimento dos bancos menores.


Veja também:


Fintechs e bancos digitais estão investindo pesado nesse setor

Alex Sander ainda salienta que tanto as fintechs quanto os bancos digitais estão investindo pesado em tecnologia com o intuito de oferecer novos canais de atendimento e de oferta de produtos para os clientes.

Por que esse apetite pelo mercado? Simples: o consignado é uma das linhas de crédito com menor taxa de inadimplência, além de boas margens apresentadas. Sem contar que os bancos que atuam nessa área podem oferecer uma troca de dívidas mais caras pelo crédito consignado.

Um fato curioso é que os grandes bancos detém 80% de todos os recursos emprestados no consignado, e ainda assim não são os que oferecem as menores taxas para os clientes. Segundo o próprio BC, as fintechs, bancos regionais e financeiras são as que oferecem melhores condições nessa modalidade.

Competição deverá ser maior no setor

A competição no mercado de crédito consignado deverá se intensificar ainda mais pelos próximos anos. O Banco Inter, que tem o terceiro menor juros do mercado para servidores públicos e o segundo menor para aposentados e pensionistas do INSS, está apostando mais nessa modalidade recentemente.

Não é de hoje que a instituição atua nesse segmento, no entanto, ela reformulou as suas linhas de consignado em 2018 e passou a investir mais em parcerias com prefeituras e governos estaduais.

Até pouco tempo atrás, a mina de ouro das instituições financeiras eram as contas-salários. Contudo, com o aumento no pedido de portabilidade isso deixou de fazer sentido, e por isso o consignado tornou-se tão atraente.

Vale a pena tomar o empréstimo consignado?

Embora seja um empréstimo com as menores taxas do mercado, no Brasil o crédito consignado é pouco difundido para os funcionários da iniciativa privada. E por isso ficam mais restritos a funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS.

Para quem se enquadra nessa modalidade, essa é uma boa alternativa de empréstimo. Mas é preciso destacar que o limite de desconto no salário do é de 35%, por isso há também um limite na hora de tomar o valor emprestado, seja no Inter, Banco Pan ou qualquer outro.

Gostou desta matéria? Então compartilhe com todos os seus amigos e parentes nas suas redes sociais e nos ajude a disseminar o conhecimento.