Disseminação Covid-19: a culpa é de quem?

A Covid-19 chegou como um furacão, matando pessoas, destruindo famílias e mudando totalmente o nosso estilo de vida. Mas o que fazer para mudar essa situação em nosso país?

Publicidade
Publicidade

A culpa é de quem?

a culpa é de quem

Cassino clandestino é fechado. Festa clandestina com 150 idosos é fechada pela polícia. Passeata pelo Brasil reúne inúmeras pessoas. É tanta manchete de aglomeração que me pergunto: a culpa é de quem?

A sociedade é reflexo da sua classe política, ou a classe política é reflexo da sociedade? Sobre essa reflexão abro esse artigo, para procurar entender aonde foi que erramos. Por que não estamos conseguindo conter a pandemia?

Todos estão fazendo a sua parte? E se não estão, por que não estão? No momento deste artigo, o Brasil contabilizava 290 mil mortes por Covid-19. A Nova Zelândia apenas 26. Por que tamanha diferença?

Tudo começa na educação

Antes de achar um culpado para a nossa tragédia do dia a dia, vamos falar um pouco sobre a educação. O Brasil, na década de 90 conseguiu diminuir o seu índice de analfabetismo que era bastante elevado.

Publicidade

No entanto, isso não veio por meio de um trabalho intensivo, mas sim sucateando a educação e facilitando aos alunos que passassem de ano. O ano passou, os anos passaram e hoje temos uma sociedade que se informa por memes.

Publicidade

Sim. É bem comum receber memes nas redes sociais, em grupos de WhatsApp e acreditar naquilo como uma verdade. Checar a fonte? “Pra quê?”, “toda imprensa é comunista”, e se falou no meme, tá falado.

Acredito que o sucateamento da educação agora reflete num momento tão delicado que o mundo está passando. Talvez, não vamos achar um culpado direto. Afinal, como exigir checagem de fontes de alguém que não foi educado para isso?

Além da educação, a infraestrutura

Se a nossa educação não colabora, o que dizer da infraestrutura do Brasil? Hoje estou aqui, confortavelmente escrevendo este artigo e defendendo o isolamento social. Mas e quem mora numa comunidade sem o básico?

Como exigir isolamento social da Dona Maria que precisava sair para vender seu hot dog diariamente para sustentar seus oito filhos que se aglomeram no mesmo quarto? A situação é difícil, bem o sei.

Aos finais de semana, os seus filhos não aguentam mais olhar para a parede, afinal lá não tem o Wi-fi, Netflix e Spotify. O que eles fazem? Pancadão clandestino. Estão errados? Talvez, mas como viver um ano dentro de um quarto sem comunicação?

Enquanto não existirem condições dignas de moradia e saneamento básico em todo país, acreditar que o isolamento social dará certo é bem difícil. Ainda mais quando pensamos em comunidades populosas e sem infraestrutura.


Veja também:


Mas afinal, a culpa é de quem?

Chegamos ao ponto, e poderia aqui culpar presidente, população ou quem quer que fosse. Mas a verdade é que a culpa do que vivemos agora começou lá atrás, bem lá atrás mesmo, em uma sociedade escravista.

A desigualdade social aqui reina desde a nossa descoberta. Os problemas na educação ajudam a piorar a situação da pandemia, os problemas de infraestrutura também. A vacina precisa chegar, e isso podemos cobrar dos governantes atuais.

No entanto, só a vacina não será suficiente. A pandemia mostrou muito mais do que mortes. Ela mostrou um país carente de educação de qualidade, carente de emprego e renda, carente de infraestrutura básica.

Como a Nova Zelândia conseguiu ter só 26 mortes? A resposta pode estar logo aí acima. Portanto, muito mais do que medidas emergenciais, serão necessárias medidas estruturais no nosso país.

Uma hora a pandemia vai passar, mas e quando uma nova chegar, estaremos mais preparados? Ou vamos seguir a vida em frente, mantendo uma sociedade carente se informando por memes nas redes sociais? Enfim, a culpa é de quem?