Criação de MEI aumenta com mudanças no mercado de trabalho



Anúncios



Publicidade

O mercado de trabalho está mudando. As relações trabalhistas vêm sofrendo uma profunda transformação que pode ser observada com o aumento na criação de MEI.

Passados dez anos da implantação do regime MEI no Brasil, existem cerca de 9,6 milhões de microempreendedores individuais. Para se ter uma ideia, no ano de 2010 existiam apenas 70,3 mil MEI´s.

Um dos fatores que colaborou para o crescimento foi a queda no emprego formal, além da baixa burocracia e do baixo custo tributário que o regime possui. Segundo especialistas do Sebrae e da FGV, esse número deve crescer ainda mais nos próximos anos.

O que é o MEI?

MEI é a sigla para Microempreendedor Individual. Esse é um regime tributário criado pelo governo para pequenos empreendedores e prestadores anônimos que faturam até R$ 81 mil por ano e possuem apenas 1 funcionário registrado.



Publicidade

Segundo Renan Pieri, professor de economia da escola de Administração de Empresas da FGV de São Paulo, as mudanças que estão acontecendo no mercado irão impulsionar o crescimento dos microempreendimentos nos próximos anos.



Anúncios

Wilson Poit, diretor superintendente do Sebrae-SP, também acredita que esse tipo de negócio será o responsável por impulsionar o mercado brasileiro no futuro.

A alta carga da CLT no Brasil, conjuntamente com o recesso econômico pelo qual o país passou, fez com que as pessoas passassem a empreender mais. Quando, porém, uma pessoa passa a ter mais liberdade, ela jamais volta para a condição anterior.

Esse é um dos fatores que fazem os especialistas apostar no crescimento das MEI´s para os próximos anos. Além disso, também há o crescimento de profissões home office, que colaboram para esse crescimento.


Veja também:


Profissões promissoras

Wilson Poit, ainda destaca que existem algumas áreas mais promissoras para quem deseja iniciar uma MEI. Dentre elas, ele enaltece os negócios voltados para pessoas que possuem mais de 70 anos, chamado de economia prateada.

Além disso, ele também acredita que o mercado de animais de estimação bem como o de alimentação fora de domicílio também são bastante promissores. Isso sem contar a área de estética e beleza que é uma das que mais cresce no país.

Vale ressaltar, porém, que outros fatores devem ser levados em consideração antes de se empreender, como a inclinação para o negócio, bem como o gosto pessoal de cada um.

Dentre os segmentos com maior representatividade no número de MEI´s no ano de 2020 no estado de São Paulo estão os salões de cabeleireiro com 213.336 negócios formalizados. Na sequência vêm o comércio varejista de artigos de vestuário com 169.293 negócios abertos.

A MEI em substituição à CLT

Além dos empreendedores que partiram para uma nova jornada, há também a mudança em algumas relações trabalhistas onde a MEI é usada.

Muitos profissionais e empresas, desse modo, passaram a usar a MEI como alternativa à CLT. Desse modo, professores, redatores, publicitários, programadores, optaram pela adesão do regime para poderem prestar serviços para algumas empresas.

Segundo Renan Pieri, a entrada da MEI nas relações de trabalho acontece por conta do alto custo tributário da folha salarial. Por essa razão, muitas empresas estão optando por terceirizar alguns serviços e acabam recorrendo às MEI´s.

No entanto, com a retomada econômica, alguns especialistas acreditam que o uso da MEI como alternativa às relações trabalhistas diminua. Contudo, esse é um fato que não se pode afirmar, visto que o crescimento tecnológico pode colaborar para a manutenção da MEI neste cenário.

Afinal, muitas profissões podem ser exercidas dentro de casa, e para a empresa optar em ampliar os seus custos é algo difícil de acontecer. Por isso, é bem possível que o crescimento das MEI´s continuará nos próximos anos.

Gostou dessa matéria? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe essa notícia com seus amigos nas redes sociais.