Você é microempreendedor? Veja 3 dicas para fazer o seu fluxo de caixa!

Microempreendedores: apredam como controlar as entradas e saídas do negócio e fazer sobrar dinheiro no final do mês.



Anúncios



Publicidade

3 dicas para microempreendedores

fluxo de caixa

Só quem é microempreendedor sabe como é difícil controlar as entradas e saídas do negócio e fazer sobrar dinheiro no final do mês.

Essa não é uma tarefa fácil, mas é necessária para dar mais saúde financeira, possibilitando assim que a sua empresa cresça.

Para isso, uma das ferramentas mais usadas é o fluxo de caixa. E então eu te pergunto: você faz o fluxo de caixa corretamente do seu negócio?

Se a sua resposta é não, então você precisa conferir essas três dicas que separamos para você começar hoje mesmo a fazer o seu. Dá só uma conferida.



Publicidade

1 – Crie uma planilha de fluxo de caixa diário

O primeiro passo para você começar a fazer o seu fluxo de caixa é criar uma planilha para marcar todas as entradas e saídas diariamente.



Anúncios

Nesse momento há duas coisas importantes para se fazer: marcar e classificar as saídas. Não sabe como fazer a classificação? Calma que explico.

Seu negócio tem basicamente três tipos de custo: custo fixo, custo variável e custo da mercadoria vendida.

Por custo fixo entende-se tudo que você terá que pagar todo mês, independente se você tiver vendas ou não, como: aluguel, água, energia elétrica, funcionários, escritório de contabilidade, etc.

Já os custos variáveis são aqueles que variam junto com as vendas, sendo imposto e comissão os mais conhecidos. E o custo da mercadoria vendida é o valor que você paga para os seus fornecedores.

No momento de lançar uma despesa é importante classificá-la para saber se é possível reduzi-la ou não.

2 – Faça uma análise semanal do fluxo de caixa do seu negócio

Ao finalizar uma semana procure passar um raio-x sobre suas entradas e saídas, vendo o que poderia ter sido cortado.

Avalie se o seu custo fixo não está alto, se você não está aumentando o estoque acima do que deveria gastando muito com fornecedores, ou se o seu custo variável não está comendo o seu lucro.

Mais do que fazer um fluxo de caixa, é fundamental analisá-lo. Afinal, é nesse momento que você irá pensar em como poderá melhorar essa situação.

Lembre-se que nesse fluxo de caixa precisam estar marcadas todas e quaisquer saídas que tiver do caixa da sua empresa. Nem que seja um chicletes.


Confira outras dicas:


3 – Separe os gastos da pessoa física e da pessoa jurídica

Por fim, tome cuidado para não confundir os gastos da sua empresa com os seus gastos particulares. Isso pode prejudicar a saúde financeira do negócio.

O ideal é que você tenha um pro-labore fixo todos os meses, que seria uma espécie de salário pelos serviços que você presta para sua empresa.

No entanto, se isso não for possível, assim que você pagar alguma despesa pessoal pela empresa, marque ela como pro-labore.

Assim você saberá exatamente a cada semana quanto está tirando da empresa para os seus gastos particulares.

Inclusive, se você ver que os gastos particulares estão sendo muito altos, precisará repensá-los. E aí você terá que fazer um bom planejamento das suas finanças pessoais.

Ter uma empresa no Brasil exige bastante disciplina e organização. Inclusive, uma boa opção é ter uma conta digital para te ajudar no seu negócio.

Uma boa alternativa é o PagBank que além de oferecer praticamente todos os serviços bancários em um único App, ainda te dá soluções de pagamentos.

Agora que você já sabe como é importante um fluxo de caixa, chegou o momento de começar, para fazer o seu negócio prosperar.

Gostou deste artigo? Então não deixe de compartilhar com seus amigos e parentes nas suas redes sociais.