Estou no Cheque Especial. Vale a pena tomar um empréstimo pessoal?

Precisa ficar livre de dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito? Empréstimo pessoal é uma saída? Continue a leitura e veja nossas recomendações financeiras.

Publicidade

Cheque especial e empréstimo pessoal

Você está devendo no cheque especial ou no cartão de crédito? Então pare o que está fazendo e leia este artigo. Não demora nem três minutos.

Com a chegada da pandemia de coronavírus, o Brasil que estava saindo de uma crise econômica se viu em uma situação delicada.

Muita gente perdeu a renda. Empresas fecharam as portas. E o que fazer com as contas?

Automaticamente, em uma situação dessas corremos para onde é mais fácil: cheque especial e cartão de crédito. Mas, esse é um erro que pode custar caro.

Publicidade

Por que não devo usar o cheque especial?

O cheque especial tem histórico de ser o mais caro do mercado. Houve um tempo que ele chegou a quase 15% ao mês.

Publicidade

No entanto, desde janeiro o limite da taxa de juros dele está fixada em 8% ao mês pelo Banco Central. Isso equivale a 150% ao ano.

Embora reduzida, essa taxa ainda é alta. Principalmente quando comparada às taxas do empréstimo pessoal.

Claro que no desespero é comum correr para onde está mais fácil.

Porém, é preciso considerar a hipótese de tomar um empréstimo pessoal para cobrir o cheque especial.

O cartão de crédito é pior que o cheque especial?

Se o cheque especial já deve ser evitado, o que dizer do cartão de crédito. Hoje, a taxa de juros do rotativo do cartão é a mais alta do mercado.

Dependendo do cartão ela chega a 13,5% ao mês.

Por isso, se faltar dinheiro para pagar a fatura é melhor recorrer a um empréstimo pessoal.

Se você não possuir empréstimo pré-aprovado, é melhor em um curto prazo pagar a fatura com o cheque especial. Ou então, parcelar a fatura.

Até porque, os juros do cheque especial hoje estão menores que os juros do rotativo do cartão.

Pagar o mínimo do cartão pode dobrar o valor da sua dívida em um prazo de 6 meses, gerando assim uma bola de neve.

Vale a pena então tomar um empréstimo pessoal?

Sim. Se você está pagando o mínimo do cartão de crédito ou está com o cheque especial descoberto, vale a pena o empréstimo pessoal.

Para quem é aposentado, pensionista do INSS ou servidor público há ainda a opção do crédito consignado.

Ele possui as menores taxas do mercado.

Hoje, inclusive, está mais fácil conseguir um empréstimo pessoal. Muitas fintechs estão atuando nessa modalidade.

E por estender os prazos, o empréstimo pessoal te dará mais fôlego no mês.


Veja também:


Quais são as opções disponíveis no mercado?

Praticamente todos os bancos possuem linhas de crédito pessoal.

Além disso, há inúmeras financeiras e fintechs que também estão com boas linhas e excelentes condições de pagamentos.

Por isso, é preciso pesquisar. Você pode, inclusive, checar com a operadora do seu cartão de crédito a possibilidade do parcelamento da sua fatura.

Há fintechs, inclusive, que fazem empréstimos com juros baixos colocando veículos como garantia. Portanto, opções não faltam.

E onde pesquisar empréstimo pessoal na internet?

Por ter uma oferta grande na internet, muitas vezes ficamos sem saber como pesquisar.

No entanto, hoje você pode fazer isso em uma única plataforma.

Já existem algumas plataformas que fazem a ponte entre a financeira e o cliente. E uma delas é o Bom pra Crédito.

A plataforma conta com mais de 30 financeiras parceiras. É só fazer o cadastro para receber as propostas.

Você compara as taxas de juros e escolhe a melhor. Tudo sem sair de casa. E ao ser aprovado, o dinheiro cai em dois dias úteis na sua conta.

Dessa forma, fazendo uma boa pesquisa é possível evitar o afundamento em dívidas, reduzindo os juros que você está pagando.

Gostou deste artigo? Então compartilhe ele com seus amigos nas redes sociais.