PicPay anuncia que vai entrar no mercado de crédito pessoal

- Publicidade -

Para quem já gosta do PicPay, aí vai uma novidade: a fintech vai entrar no mercado de crédito pessoal, e isso deve acontecer mais rápido do você imagina.

Corredores vazios, luzes apagadas, computadores desligados. Essa é a cena que vemos no escritório da PicPay tanto em Vitória no Espírito Santo quanto em São Paulo.

No entanto, apesar de estar com aproximadamente 1,4 mil funcionários trabalhando em regime home office, o ritmo da startup continua incessante.

- Publicidade -

E agora, ela acaba de anunciar mais uma novidade, vai entrar em dois novos segmentos: cartões e crédito pessoal.

Os planos da PicPay para o futuro

De acordo com Gueitiro Genso, CEO da PicPay, em entrevista exclusiva para o portal NeoFeed, a startup já entende que os produtos estão prontos para ir ao mercado e ganhar escala.

“Decidimos criar uma unidade de negócios para reunir essas duas soluções, que são estruturantes para qualquer ecossistema financeiro”, disse Gueitiro Genso em entrevista para a NeoFeed.

Uma das principais estratégias da PicPay é reunir um leque cada vez mais abrangente de serviços financeiros em uma única plataforma, baseada em recursos de pagamento a distância, como o QR Code.

Essa entrada nestes dois nichos reforça ainda mais essa estratégia. E para comandar essa área, a fintech contratou Frederico Trevisan que tem mais de 15 anos de experiência no setor, tendo passado por Santander, Citi e Itaú Unibanco.

Ele vai liderar uma equipe que já conta com aproximadamente 100 pessoas e deve contribuir ainda para que o objetivo da empresa de fechar o ano de 2020 com 2 mil funcionários se concretize.

- Publicidade -


Veja também:


Equipes serão conectadas

De acordo com o CEO, essa equipe não será, digamos, um mundo à parte dentro da PicPay. Afinal, ela atuará conectada às demais áreas da empresa.

Normalmente, no mercado financeiro tradicional, há uma separação das equipes, mas a intenção de Trevisan é criar um modelo que dará uma visão transversal de todo o ecossistema.

E agora vem o melhor: uma parte dessas novidades está programada para ser lançada agora em junho que é a oferta de empréstimo para pessoa física.

Esse serviço ainda está em fase de ajustes de prazos, taxas e outras condições. Entretanto, as primeiras operações já foram testadas e realizadas na semana passada.

O risco do crédito em meio à Pandemia e a estratégia da PicPay

Um ponto que foi levantado e que é bastante pertinente diz respeito ao aumento da inadimplência em uma época de pandemia do coronavírus.

- Publicidade -

No entanto, a fintech destacou que ela irá somente entregar a solução, sendo que toda a gestão de risco ficará por conta dos parceiros, como o Banco Original.

O Banco Original é quem controla a PicPay, e o pontapé inicial será dado através dele. O volume ainda não foi definido, mas já deverá ser desenhado logo nos próximos dias.

A fintech também está negociando com outros parceiros que tenham interesse em ofertar crédito pela plataforma.

O cartão de crédito também está seguindo a mesma abordagem. Em janeiro foram iniciados os primeiros testes nesta modalidade em parceria com o Banco Original.

E agora também está sendo lançado o cartão de débito, que também teve os ajustes finalizados na semana passada. A solicitação será bem simples, e com apenas alguns cliques será possível gerar o cartão virtual e também solicitar o cartão físico.

Os gastos poderão ser gerenciados pelo próprio aplicativo que dará acesso a todos os produtos da carteira digital bem como a possibilidade de realizar pagamentos por QR Code em lojas físicas.

Haverá para isso uma rede com cerca de 3 milhões de estabelecimentos parceiros conectados à plataforma.

Crescimento será exponencial durante este ano

É bem provável que entrando nesses segmentos, a PicPay irá nadar de braçada neste ano de 2020. A fintech já havia fechado 2019 com 13,4 milhões de usuários, sendo que destes, 3,9 milhões estão ativos.

Antes da pandemia, o crescimento mensal era de 500 mil novos usuários por mês. Em abril, a empresa registrou, contudo, um volume de 3 milhões de novos usuários.

Com esse salto, a startup acredita, portanto, que a meta projetada de 20 milhões de usuários até o final de 2020 será atingida, sendo que desses, a ideia é ter 8 milhões de usuários ativos.

Boa parte dos esforços no momento estão sendo centrados em ações que visam reduzir os impactos da pandemia, como distribuições de doações e recursos que tem como destino um grande volume de pessoas.

Apesar desta modalidade ter sido criada com a finalidade de combater a pandemia, ela pode ser lançada em outras aplicações que já estavam no escopo da fintech.

De acordo com Trevisan “Podemos oferecer em breve, por exemplo, o produto para as empresas pagarem seus funcionários e fornecedores”.

Trevisan acredita que no futuro existirão 5 ou 6 grandes ecossistemas financeiros e que sem dúvida alguma a PicPay estará entre eles. 

Gostou deste artigo? Deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta notícia com seus amigos nas redes sociais.

Fonte: NeoFeed